29 de agosto


Diário de bordo, 29 de agosto de 2008 - ouvindo "Superstar - Toybox"


12: 30: Meu pai gosta de me confundir mesmo. Ele, desde os primordios da humanidade, sempre chamou os caras na qual eu estou gostando ou simplesmente eu estou perto ou ja falei para eles de tiburcio. Não pergunte. Eu não faço a minima noção do que seja isso. Mas que seja. E o ultimo tiburcio de quem ele falava era o cara que eu vou chamar de cara I. Pois é, e aquele cara que eu falei no ultimo post, que andam dizendo que é meu namorado. Mas que ele NÃO É MEU NAMORADO vai ser o cara II. Pois bem, meu pai me perguntou hoje como ia o tiburcio, que ele não via. E eu, achando que era sobre o cara II, que ultimamente, é a noticia lá de casa, que a luana tem namorado. Mas eu NÃO TENHO UM NAMORADO!!! Que seja, dai eu disse que hoje ele tinha SAS, e que não tava la encima quando ele chegou. Mas dai meu pai disse:


- Não seria SAQ?
- Não pai, o segundo ano tem SAS.
- Ué?! Mas o tiburcio não ta no segundo ano.
- Ta sim.
- Não ta não.... Perai, de quem tu ta falando.
- Do tiburcio, oras.
- Mas eu também. Opa, perai, tu se confessou. - HAHhhaHHAHAHahaA...


E fiquei olhando pra ele, tipo, tu ta bem. Dai, depois eu fui entender. O pai tava falando do cara I, e eu do cara II. É claro, os dois tavam falabdo de duas coisas diferentes. E eu nem me lembrava mais do cara I. Mas que seja. dai eu fiquei brabinha e ele continuou dizendo que eu me confessei. E depois falou pra mãe. E a mãe disse que sabia que uma hora eu ia acabar me convencendo. Mas eu não tenho NADA PRA ME CONVENCER!!!


Grrrrrrrrrrr......


12: 57: Eu acho que a mãe ta fazendo carreteiro. E eu acho carreteiro uma comida tão... sobra. Sabe, tu pega tudo que tiver em casa e faz o que? Um carreteiro!! E eu nem almocei ainda. Vai dizer que eu não debvia levar isso para o estatuto da criança e do adolescente. Eu aqui, morrendo de fome e meu pai vendo desenhos (meu pai as vezes parece que tem uns 8 anos) e minha mãe lavando roupa, fazendo comida, preparando algum suco e conversando com o api da sala, tudop ao memso tempo. Minha mãe faz multi-tarefas. É incrivel. E tem um super-desenvolvido ouvido.

Tava eu e a vitória la no quarto falando, e ela na sala. Eu falei uma coisa e ela gritou da sala o que era tal e tal coisa eu eu tinha falado. Meu quarto tava com a porta meio-aberta. Mas mesmo assim. É longe. E ela ouve. Ela tem um super-ouvido. Oo


HAHHAHHhahAHahAHahahaHAA, eu achei um pseudo-emo num clipe do Chris Brown. HHeheHEEHHEHehEHEhEHehEHE. Eu adoro Chris Brown, na verdade, eu sou beeem eclética. Eu tava ouvindo ontem: Chris Brown, Evanescence, Madonna, Paramore e Avril Lavigne, tudo em menos de três horas. Mas mesmo assim, ninguém vai ser mais eclético que meu pai. Ele gosta de musica sertaneja, Eminem, musicas gaúchas e ouve Britney Spears e Fergie e gosta ainda. É incrivel. Ele é totalmente eclético.


13: 37: aAAAAAHHHHhhhhhhhhhh!!!!! Eu vou ficar louca. Eu tava falando no jantar sobre a prova de matemática que tava bem fácil e eu devo ter sido a primeira a terminar ou algo assim. Dai o pai perguntou: E o tiburcio é bom em matemática? E eu disse que não sabia e que ele não era tiburcio. E a mãe disse que ele era tal tal cara. E ela disse que tinha um colega na escola com o mesmo sobrenome. E disse que ia ser super legal se eu me casa-se com o filho do ex-colega dela. Eu dai dei meus gritos de pessoa louca e com problemas. Eu ja sou até CASADA com ele??!!??!!!!O_O


22: 37: Entãããão, agora ta tarde, eu não comi e nhaaa... vou sair!!

Bye-bye! *smack*

28 de agosto




Diário de Bordo, 28 de agosto de 2008 - ouvindo "My immortal - Evanescence"

13: 27: Ultimamente eu ando ouvindo Evanescence de novo. Fazia anos que eu não ouvia Evanescence. Na verdade, tudo anda muito estranho ultimamente. Tirando o fato da escola estar sendo mais razoavel conosco e os professores (alguns) andam deixando as aulas mais lights, senão, vai metade do primeiro ano rodar. Parece que nessa ultima semana, eu arranjei um namorado. Oo

É que eu tenho um amigo que ultimamente anda me abraçando demais, e ele vive me abraçando, eu e a minha outra amiga. Mas nessa quarta ele simplesmente ficou abraçado em mim e me dando beijo na bochecha a aula inteira de cine. Adivinha o que aconteceu. Todos estão achando que eu to ficando com ele. Meus irmãos acham isso. Meu pai ta levando isso a sério. Fala sério, o meu amigo pode ser muito legal, mas não acho que namoraria ele. Nada contra, mas ele é meu amigo. Que seja, hoje um garoto que era meu colega e sempre gostava de rir da minha cara ou gozar de mim (eu simplesmente odeio ele) veio me perguntar se eu tava ficando com o tal garoto. Eu só balancei a cabeça. Em que mundo nós estamos, em que a genmte vê uma garota e um garoto se abraçando e ja acha que estão ficando. Ele é só meu amigo. Mas o mais chato meeesmo é que quando todos se viraram para nós na aula de cine, ele se soltou de mim e todos estavam achnado, pela minha cara, que eu não tava gostando, mas na verdade, eu gosto de ser abraçada, sabem? É que eu fico triste pelo fatop de minha expressão as vezes mentir sobre mim mesma. Eu naum estava faznedo uma expressão do tipo saia-daqui-antes-que-eu-te-mate. Eu tava fazendo uma de deixa-ele-aqui-não-ta-me-encomodando. Porque, bom, eu nunca tinha sido abraçada tanto por uma pesoa do sexo oposto. E estou querendo dizer que eu gosto disso sim.
Mas não que eu ache que vou ter alguma coisa com ele. isso é tão absurdo. Minha mãe esta quase acreditando. Apesar de eu nunca saber o que se passa na cabeça dela. Mas que seja. Hoje, meu pai foi me buscar la encima e ele veio me abraçar, dai eu cochichei: meu pai ta ali atras. E ele na hora me soltou e entendeu. Não sei se meu pai viu, deve ter visto. Mas que seja, eu sempre quiz ter alguém, mas não apenas para os outros verem e acharem isso. Quero realmente ter alguém. Porque ele, é só meu amigo, caramba!!

15: 15: Acabei de voltar pra casa. Eu tinha ido no colégio agorinha a pouco, porque minha pasta de química, tinha uma folha que eu tinha faltado a aula, e ela estava incompleta e sem a assinatura da professora. Então fui até o colégio e pedi a assinatura dela. Eu copiei de uma minha amiga a folha e fui até la. Eu cheguei la e o Rodrigo estava no colégio (meu irmão de nove anos). Eu fui com ele até a sala. Mas encontramos no caminho uma amiga minha. Eu fui la e abracei ela. E o meu irmão, esperto, achou que deveria abraçar também. Eu ja disse, ele tem potencial gay, e depois o bruno veio me falar que ele tava olhando para ele. Tadinho do Rodrigo. Ele tem potencial para ser gay. Mas dai depois eu fiquei mais uns cinco minutos esperamdo na frente da sala. Dai me sai a Barbara e a Camila da sala me perguntando o que eu tava fazendo la. Mas eu queria logo mostrar pra professora e ir embora. Então acabei não respondendo pra elas. Depois sai com o Digo e voltei pra casa. Eu estou com um mpouco de receios de voltar pra casa, porque dizem que por onde estou voltando pra casa tem um cara assaltando um moooonte de gente. Sei la. Que seja. Amanhã eu tenho uma prova bomba e uma outra que, digamos, é média-bomba. Então acho melhor só deixar o MSN ligado e estudar.

16: 35: Cara, foi muito bizarro. Eu fui lanchar na cozinha e fiz uma torrada. E botei a agua do cha dentro do microondas. Quando, do nada, a geladeira, o microondas, a torradeira, a maquina de lavar roupa, a maquina de lavar louça, todas, desligaram. Mas o mais engraçado é que foi só na zona da cozinha e lavanderia. Porque ja na sala, ainda funcionava tudo. E pros quartos também. Parece que se estendeu um campo magnético apenas na região da cozinha. Heheheehhehehe. Mas a luz e o fogão continuavam, funcionando, e o Pedro ficou todo Ohhhhhh, porque ainda tava funcionando. Hehehehehheh =3

Agora é tchau mesmo, viu?
Bye-bye

25 de agosto


Diário de bordo, 25 de agosto de 2008 - ouvindo "Leb die Sekunde - Tokio Hotel"


18: 47: Eu sou bem esperta mesmo, né? Acho que era umas três horas quando minha mãe foi buscar os manos, dai estava sozinha, momento perfeito para escrever algumas teorias minhas aqui. Mas a Luana me faz uma coisa muito burra. Ela fica uma meia hora escrevendo quando vai salvar, ela aperta "não"?!?!?!Oo


Fala sério, e essa não é a primeira vez. Grrrrrr..... Eu fico morrendo de raiva quando isso acontesse. Mas como agora não estou mais inspirada, eu estava falando no outro post em como ser irmã mais velha pode ser incrivelmente extressante. Como ser mais nova tem suas vantagens e em como os irmãos do meio são coitados e excluidos. Tadinhus. Mas que seja, hoje vou falar sobre uma coisa chata que aconteceu comigo. Talvez em outro post eu fale sobre isso. Tinha ficado tão bom sobre meu ponto de vista. Grrrrrrr....


Tipo, eu acho que não faz muito tempo isso. Que eu escrevi aquela música que eu postei no post anterior, lembram? Vá la olhar, esta no final do post. Eu sempre busco coisas novas, gosto disso. Não me contento com o normal de certas coisas, bom, talvez isso seja bom, talvez seja ruim, talvez me prejudique algum dia, mas eu sou assim. Eu gosto de experimentar sempre coisas novas, apesar de as vezes ser preguiçosa, talvez tímida, ou até com um pouco de receio em certas vezes, e acredite, isso me irrita. Mas que seja, eu gosto bastante de escrever, adooooro. E escrevo poesias desde o ano passado, as primeiras eu olho hoje, são uma droga comparada as de hoje. No começo do ano passado, eu escrevia poesias, compridas e com predomínio sempre do sentimento amor. Que eu gostava bastante de falar. Alias, minha primeira poesia falava especialmente do sentimento amor. Mais no final do ano, eu ja fazia tentativas de músicas. Como sou uma menina, lógicamente escrevia com o eu-lirico feminino. Mas nas aulas de literatura, vimos que os homens da era mendieval, escreviam também como se fosse uma mulher falando.


Eu achei isso meio complicado talvez para algumas pessoas escrever como se fosse a outra do sexo oposto. Então, como gosto de me desafiar, isso é sempre uma forma de mostrar que eu posso sempre mais e que consigo o que eu quero. Porque na maioria das vezes eu me sinto uma inutil ou que não consegue nunca o que eu quero. Então desafio meu corpo e minha mente. E acho isso legal. Me sinto feliz quando acabo ou consigo o resultado final satisfatório. Tente uma vez cumprir uma regra ou uma rotina de certa coisa. É muito legakl ver que depois você conseguiu seguir o seu plano até o fim. Uma vez eu fiz uma promessa que durante uma semana, sempre quando fosse dormir (o que não foi muito inteligente, afinal, se você vai dormir com os músculos ainda doendo ou recém forçados, não é muito bom, mas que seja), eu faria 15 abdominais. E acho que no terceiro dia. Eu fiz outra promessa, que faria 30. E ja no ultimo dia eu fazia 45. Entende? Eu ia cada vez mais. E quando você começa um plano. Você vai indo sempre além. Ta, talvez eu seja muito otimista e feliz falando isso. Mas eu costumo ser assim nos meus textos sem preceber. Ou mesmo no dia-a-dia. Mas mais nos textos mesmo. Mas daí eu escrevi, tentando passar por mais um desafio, minhas ultimas duas tentativas de musicas como o eu lirico sendo masculino falando de uma mulher. Mas teve gente que ja achou que estava falando para alguém aquilo. E achou esquisito. Ou até que eu era do lado azul da força. Mas não é nada disso.


Eu fiz uma experiencia de ver como me saia vencendo mais um plano meu. Dai um amigo meu gay me perguntou pra quem tinha escrito aquilo. Eu disse que pra ninguém. Porque eu ja disse no ultimo post. Nós poetas, não escrevemos necessariamente para alguém. Eu posso escrever sobre a morte sem nunca ter morrido, olha, uma poesia que explica bem isso, e que eu escrevi:


Poeta


Escrevo sobre o amor
Sem estar apaixonada
Escrevo "Felicidade"
Sem nem estar feliz
Escrevo sobre a morte
Sem, nunca, ter morrido
Escrevo sobre o mundo
sem tê-lo conhecido


Luana Santos



Bom, deu pra ter uma idéia? Que seja, muitas coisas na qual escrevo, eu não estou sentindo. Muitos compositores e músicos fazem isso. E não estamos mentindo o que estamos escrevendo, nós imaginamos, criamos aquela cena. É muito divertido. Você se depara com muitas situações na qual pode escrever sem nunca ter feito aquilo nem passado pela sua cabeça fazer. Que seja, eu escrevi aquela história e um amigo bissexual meu me perguntou pra quem eu tinha escrito. Daí eu disse que pra ninguém, que até porque, nem poderia. Porque fala pra uma mulher. Dai o cara falou:

- "Mas poderia ter sido pra tal fulana (amiga minha)".
Daí eu falei toda errada pela coisa que ele falou:
- "Não!!!!!".

E ele:
- "Tá, desculpa. Mas sei lá, né?"
E dai eu falei:
- "Olha, eu gosto muito dela. Eu amo ela. Mas é puramente amizade."
E ele falou:
- "Tá bom. Vamos mudar de assunto"
Tipo, dai hoje no recreio. Ele falou que eu até tinha uma pontinha no lado azul da força. Eu olhei tipo-do-que-tu-ta-falando-garoto-tu-bem? E ele dai vendo a minha cara, disse: "To brincando".

Eu pensei: "Taaaa bem. Ele deve ter interpretado mau a minha poesia e minha loucura em ter dito que se até os 18 anos eu não encontrar ninguém, eu passo para o outro lado. E acho que ele não percebeu que eu estava brincando porque estava pseudo-desesperada por um namorado. "
Mas eu fiquei meio errada com isso. Mas que seja. Hoje fui la estudar com a tia la pelas 16 horas. E sai de la acho que uma hora e meia. Fui pro mc onde tava a mãe e os manos. Eles foram comprar uma mochila para eles. E a do Pedro (meu irmão menor: 7 anos)c comprou uma dos piratas do caribe muito legal e um chaverinho do Star Wars cada um. O Pedro comprou de um cara la que eu não lembro mais o nome e o Rodrigo comprou do Conde Dookan(ou como dizem no inglês, conde Dooku, hauhauahahauhaahha XD). Ah sim, o Pedro comprou o mestre Windu, o negro. E eu ahcie legal. E queria um do anakin ou da tia que eu naum lembro o nome(ela era a principal e eu naum lembro o nome, só lembro da atriz, afinal, ela é uma das minhas atrizes preferidas: Natalie Portman). Ahhh! Eu lembrei o nome, mas não faço idéia de como se escreve.


E agora vou pôr uma poesia minha, que escrevi no ano passado, o que se passa na poesia era uma angústia minha, devido a muitas brigas com minha mãe, nessa poesia, eu realmente estava sentindo aquilo, ela é mais uma das minhas lamentações. Até o ano passado, eu escrevia bastante lamentações minhas da minha vida, mas com o passar do tempo, as lamentações foram parando e eu comecei e escrever poesias como do ultimo post com mais da minha imaginação mesmo, espero que gostem:


Paredes cor-de-rosa


Paredes cor-de-rosa
Eu não as escolhi
Eu queria azul
Mas você queria rosa
Não fui eu


O óculos de sol
Eu não o escolhi
É feio e escuro
Você escolheu
Não fui eu


Minha vida é um teatro
Você é o diretor
Deixe-me vivê-la
É minha, não sua


Não lhe dei permissão
Você entrou sem bater

Mexeu comigo,
Com minhas emoções
Foi rude e insensível
Não se importou comigo,
Com meus sentimentos
Aprendi a guardá-las
Escondê-las de você

Agora isso tudo explodiu
Como um copo de leite
Encheu até transbordar


Mas e se eu lhe disser isso tudo
Vai continuar aí, parado, sem ação
Apenas me achando uma garotinha
Querendo aparecer,
Que não sabe de nada,
Que simplesmente não conhece a vida
Mas eu não sou mais uma garotinha,
Era feliz, apenas
Aprontava, apanhava, aprontava, apanhava...


Mas agora quero viver
Curtir meus novos sentimentos
Eles são livres
Não podem ser controlados
Deixe-me sentir o que devo sentir
Tudo tem sua hora de acontecer


Então, deixe-me pintar as paredes de azul
Deixe-me comprar óculos de sol claros
Deixe-me escolher
Deixe-me viver


Luana Santos




beijux *smack*

18 de agosto


Diário de Bordo, 18 de agosto de 2008 - ouvindo "What goes around... Comes around - Justin Timberlake"


16: 55: Ufa. Um pouco sozinha. Eu fui as 15: 00 pra recuperação de Química. Antes eu cheguei em casa do colégio, almocei, e fiquei na frente da TV esperando a comida baixar um pouco e descançando. Depois as duas e dezoito. levantei correndo do sofá. Estava atrasada. Ainda tinha que arrumar a cama da mãe e estender roupa. Mas consegui fazer tudo. E ainda descer e subir de novo para pegar um outro casaco com capuz. Desci de novo e esperei meu pai aparescer para me levar no colégio. Lá, eu fui para a recuperação, estava chovendo muuuuuuuuuito, na descida da lomba. Descia um rio. Molhou todo o meu tenis de gangsta. Tava grossa a corrente de água que descia. E tava forte também. Eu tava vendo nas notícias que no Brasil todo ia subir as temperaturas. Menos aqui, que ia ficar 24 graus (\o/). E que ia dar um temporal. Bem, eu que nunca presto atenção nas aulas porque sou um mal exemplo e fico conversando pelo caderno com a Cahh, pelo menos assim não faz barulho e parece que estamos anotando alguma merda que ela fala. Mas daí fui na recuperação cheia de perguntas e consegui satisfazer todas elas. Vivaaaa!!!!! Daí fui a pé pra casa. E como uma cidade fica com cara de triste e solitária e vazia em dias de chuva. Tu não vê muita gente nas ruas. Não tem muitos cachorros nem gatos nem nada. No caminho pra casa, tu atola no barro umas duas vezes com seu lindo tenis de gangsta, tu vê todas as ruas alagadas e tristes. Sei lá. A cidade fica tão sinistra, e vazia e solitária em dias de chuva. Mas é legal quando você ta dentro de casa. Eu aaaamo!! Ver aquela chuva quando você esta no quentinho do seu quarto. Ou fazendo algum tema. Parece que a chuva (ou a água dela) me estimula a estudar ou simplesmente fazer alguma coisa. Eu tenho duas provas-bomba essa semana.


19: 44: Acabei de ver finalmente Meu monstro de Estimação. Eu ainda não vi, tava aqui em casa, mas eu não tirei tempo de ver. Tinha coisas mais importantes (cofcofmentiracofcof) pra fazer. Mas que seja. Eu achei legal. Aiai To cansadinha. *boceja*


Quarta tem prova de Física e Sexta tem de química. Química eu até entendi. mas Física eu achava que tinha entendido. Porque eu fiz a ultima prova achando que tinha ido bem, e tirei I. Então não sei mais de nada.


19: 48: Eu tava voltando pra casa. E passei no bar na descida da lomba para comprar balas de café. Eu tava na aula de química querendo, daí antes do almoço, passei lá na volta pra casa e comprei dez balas de café. Enquanto arrumava a cama da mãe e estendia roupa comia bala de café. Eu tava com vontade de tomar chá mas acabei esquecendo. Adoro chá. A mãe não anda mais comprando chá de funcho ou cidreira. Ultimamente só tem Boldo, Camomila e chá mate. Como eu odeeeeeio chá mate e chá de boldo é pra quem tem dor de barriga (meu pai diz que pessoa que toma chá é porque ta doente, eu discordo, chá é boum, e quentinhu: \o/), só me sobra sempre Camomila. Mas semana passada o chá de camomila acabou (quem será que tomou tudo?!? *olha para cima com cara de inocente*) e eu tive que tomar chá de boldo (leia-se: chá para quem tem dor de barriga). Eu achei que seria ruim e coloquei cinco colheradas de açúcar. Óbvio que ficou muito doce (tapada *bate na testa*). Mas que seja. Eu fui na cozinha de tarde pra comer fruta (mamãe disse que tem que comer) e peguei banana (eu gosto de banana). Daí eu fiz uma delicinha que a vó e eu faziamos quando eu era pequena. A gente pegava a banana e cortava ela, colocava uma camada de açucar e outra de nescau. Como depois que o Pedro nasceu nós não tomavamos leite e muito menos nescau. Não tinha mais. Mas agora que a mãe vende docinhos para aumentar a renda familiar, que anda baixa (acredita que ela demitiu a empregada e agora eu que tenho que aspirar a casa duas vezes por semana e estender roupas? Isso é trabalho escravo. E Sábado ela tava braba comigo pelos rolos que deu com o Anime Z, e me mandou, toda brabinha, eu tirar o pó do meu quarto e do quarto dela. Chata. Mas eu não tirei o dela. Enrolei no meu e depois eu fui as duas com o pai da cahh, então não deu tempo de terminar. Que pena *sarcastica*). Tem bastante nescau (\o/). Ohhh, a Roxanne voltou. A mãe tinha me pedido pra deixar ela dentro da caixinha que ela ia trocar ela. Mas hoje de manhã voltou com ela igual. Ta bem. Pelo menos não vou ter que criar a Roxanne II. Ainda tenho a Roxanne I.


20: 02: Sabe, estou com soninho. Vou ter que esperar a janta. Porque aqui em casa a janta demora bastante. Grrrrrrr... Vou me alimentar a balas de café enquanto isso. E vou tentar escrever a história da mulher Bipolar e do Érico do jeito que a Cahh me disse. Será que vai dar certo? Eu não conseguia mais escrever a história deles. E me senti frustrada. Sabe, você não conseguir prosseguir com uma história. Nhaaa, ela me deu uma dica e eu vou ver se dá certo. Ainda não sei bem que rumo tomar. E vou deixar uma poesia que escrevi semana passada pra vocês (eu não escrevi pra ninguém, okay? Poetas não precisam necessariamente estar escrevendo para uma pessoa específica. Na verdade, há muitas emoções que eu não estava sentindo ou momentos em que eu nunca cheguei perto de sentir e escrevi. Poetas são assim! *cofcofnemseachouumapoetacofcof*):



Única


Iluminado pela luz do sol
onde está você?
caminho sem enxergar
preciso de você...
nenhuma luz
...aqui
é tão forte quanto
estou sem você...
a de seu sorriso
...aqui


O que você espera que eu faça?
onde está você?
Estou enlouquecendo
Sem você aqui
Vá em frente,
você já fez tantas vezes
me abandone
que está acostumada


Não olhe para trás
vá, sem medo algum
Olhares, movimentos...
não indicam felicidade
a prendem em uma gaiola


é sua única chance...
é sua única escolha...
de ser feliz


O que você espera que eu faça?
onde está você?
Estou enlouquecendo
Sem você aqui
Vá em frente,
você já fez tantas vezes
me abandone
que está acostumada


Não deve se importar comigo
não deve manter relações fortes
se quer ser isso mesmo
comigo, com ninguém


é sua única chance
é sua única escolha...
de viver




Luana Santos

17 de agosto


Diário de Bordo, 17 de agosto de 2008 - ouvindo nada

12: 58: Cara, estou morrendo de fome. Ontem foi um dia tão legal. Tirando todos os problemas de manhã cedo e do dia anterior. ontem foi demais. Eu fui no anime Z!!!!!!! Lá era tão legal. Eu me senti em casa. E ainda mais com meus amiguinhos junto: Cahh, Guilherme e Tia. A gente se divertiu bastante e lá era tããão legaaaal. Eu quero ir de novo. Mas da próxima vez, eu devo resolver tudo um mês antes, pra mãe não ficar me estressando e me fazendo chorar com seu ódio por mim. Ela me falou cada coisa horrível pra mim no dia 15. grrrrrrr... Que raiva. Mas que seja. Ontem, foi demais, demais meeesmo. Eu amei o lugar. Eu amei estar lpa. Eu amei tudo. Só tinha gente legal. Foi o dia em que mais abracei gente, tanto pelo fato de o Vargas ter me abraçado uma dez vezes quanto pelo fato de que vinha fgente com plaquinhas pedindo abraços. E a gente ia lá e abraçava elas. Era super fofo e divertido. Lá tinha tudo, era um sonho. Aiai. Depois, la pelas cinco e poucos. Ligamos pro pai da Cahh para ele vir nos buscar. Daí o Guilherme perguntou se podia ir junto. Enquanto a gente esperava o pai da Cahh chegar, Ficamos em uma praça na frente do Julçio de Castilhos, o Vargas e a cahh conversando enquanto eu ouvia a conversa/ouvia música. Daí o pai da Cahh chegou e ele não nos viu, daí a gente teve que ir correndo até o carro, sorte ele parou. O pai da Cahh me da medo, mas ele é legal. O Gulherme falava cada merda que não se fala para o pai da tua amiga, que ja tem uns 70 anos nas costas e que nunca te viu antes. Acho que o Guilherme não parou para pensar nisso. Mas que seja. daí ele me deixou em casa. Subi, e tava rolando uma festa do pijama la em casa. O Rodrigo, meu irmão de 9 anos tinha convidado cinco amigos para ir dormir lá. Mas só puderam vir 2. Mas acho que ele já se sentiu feliz por ter dois. Mas daí, isso ja era umas sete e meia. Quando eu vi a mãe da Tizi no outro prédio na frente de casa. Que é onde a Tizi mora. A mãe dela estava no salão de festas e eu liguei para a Tizi. Ela estava com uma voz de tipo-to-meio-mal-e-se-você-não-quizer-vir-aqui-não-vai-fazer-falta-cof-cof. Eu achei meio estranho e disse que talvez eu va, mas que talvez não. Era lógico que em festas assim. mesmo que tenham apenas quatro garotos para cuidar, a mãe precisar de mim, ia me mandar fazer alguma coisa. Daí, acho que eram quase nove quando a Tizi me ligou de novo. E disse que queria muito que eu fosse, porque ela estava bem sozinha e tal. Eu disse que tudo bem então. Que eu ia. Viu como sou uma amiga legal. Whatever, eu apareci na sala e sentei do lado da mãe (porque ela ja estava puta da cara comigo nessas ultimas horas) e disse que a Tizi estava sozinha e se eu podia ir. Ela disse que eu não podia, que eu devia ir. Que eu era obrigada a ir. E que se a Cahh for embora, eu não vou ter ninguém, e que eu preciso pensar em depois, cqaso a cahh for embora. E que ela nunca vai estar aí, e que um dia eu vou acabar sozinha e blablabla... e eu disse, sim mãe. Eu vou la fazer companhia pra Tizi. Daí eu cheguei lá e tava o pai e a mãe dela e no mínimo mais umas cinco famílias reunidas e um cara fazendo churrasco e uns outros ajudando. E o legal é que eles não fizeram só carne, fizeram frango também. E eu sou facinada por frangos, eu aaaamo frango. Na hora que tava tudo protno, o que tava demorando bastante porque eu acho que a gente só comeu as onze da noite, e a ultima coisa que eu tinha comido era o almoço.

15: 25: Três da tarde e eu ainda não comi almoço, eu tava ajudando minha mãe a fazer os docinhos que ela vende e depois vim, escrever e olhar minhas imagens. Agora eu vou continuar o que aconteceu ontem. Daí na hora de comer, o pessoal pediu para fazermos uma oração. E eu não me lembro da ultima vez que fiz oração antes de comer. Lá em casa a gente nunca faz. Talvez porque esqueça, ou não ta com saco e quer comer logo. E daí eles oraram ave maria e eu não sabia orar ave maria. Daí as pessoas orando e eu quenem uma herege não orando. Daí depois oraram pai nosso, daí eu sabia (\o/) e orei junto. E lá tinha um garoto legel e com tenias de gangsta e cabelo pseudo-comprido. Daí comemos, eu peguei um monte de arroz e uma coxa de frango e basatnte salada de batatas, eu tava morrendo de fome. E daí era todo mundo la acabando ou mesmo comendo bem devagar, e a Luana comendo sem parar. Depois o cara veio com uma carne com uma cara maravilhosa. E eu peguei, com um monte de coisas no prato ainda. Mas que seja. Depois esperamos mais uma meia hora e teve sobremesa, tinha musse de limão, tinha musse de maracuja(eu odeio maracuja, mas esse tava muito boum), tinha gelatina com leite condensado (eu acho), tinha sorvetes (como naum sou muito fan de sorvete, naum comi) e um pudiimmmm (nhamnham, eu aamo pudim). Depois, lá pela meia noite, eu fui embora.

Cara, to morrendo de sono, acho melhor dormir. Bye-bye guys!!

15 de agosto


Diário de Bordo, 15 de agosto de 2008 - ouvindo nada

21: 29: As vezes eu penso. Como não enlouqueci ainda?!?!

Hoje a noite foi horrível. A minha mãe realmente me odeia. Não tem outra explicação pras loucuras que ela faz contra mim. Ela deve fazer esse papel de mãezinha que quer saber onde eu vou só para manter uma aparência falsa pro meu pai. Porque eu sinto o ódio, o ciúme, a frustração de ter uma filha como eu. E eu fico muito triste com isso. Escrevendo isso agora, me desabo em lágrimas. Elas correm sem rumo, mas as palavras da mãe tem rumo certo. Elas causam dor e sofrimento no meu coração...

As vezes penso em largar tudo e simplesmente pensar: "Esqueça, você nunca vai ser boa. Abaixe a cabeça e faça tudo o que ela mandar. Assim, você se curva e ela te molda do jeito que ela quizer. Nunca terá a liberdade. Nunca seja você. Seja sempre dura e séria. Não ria. Não faça muitos movimentos. Ria das piadas idiotas e nojentas dela apenas. Seja a filha ideal. A filha responsável, a filha queridinha com as pessoas, a filha sociável, que da oi e beijinho em todo mundo que vê, seja a filha que fala com sutileza enquanto sua mãe pisa em ti e fala: fica aí que eu agora vou dar um guspe na tua cara. Faça tudo o que ela pedir, leia os pensamentos dela para saber o que ela esta pensando e o que esta querendo. Seja a filha que não fala nada, que é intocável e tenha que se portar sempre de um jeito diferente na frente dela. Que esteja la sempre mantendo a mãe em plano elevado. Não se preocupe com você. Se preocupe com ELA.

Esqueça você, você não existe mais, agora você não é a Luana, você é a escrava da Luciana.

Mas sei que se eu for isso tudo. Vou ficar como ela. E a última coisa que eu quero ser é como ela. Não é aquela mãe heroína que as pessoas imaginam de suas mães. As vezes aquela admiração, nem que seja mínima, por ela. Eu vou odiar a minha mãe pro resto da vida por ela me feito assim e que ela é a culpada por tudo que eu sou hoje. Do mesmo jeito, eu vou viver bem longe da minha mãe e não vou querer conversa com ela quando for ter minha vida. Eu vou ser maior de 18, vou ter meu sustento. Minha família, então não precisarei mais dela. E ela que vai morar num asilo bem ruim e deu. Sei que isso é horrível de se pensar. Sei que ela foi a puta da mulher que pôs esse bicho aqui no mundo. Mas ela nunca foi uma mãe atenciosa, querida, companheira, acolhedora, ouvindo minhas idéias e desenvolvendo elas, nunca incentivou minha fala (falando assim, parece que sou uma muda, mas as vezes não precisa nem ser muda pra não saber falar, eu realmente tenho muita dificuldades pra me expressar), meu social com os outros. Eu sempre fui a estranha que em vez de dar oi dá um sorriso para as pessoas. Sempre foi a demente, que nunca pensou por si e que nucna vai saber cuidar de si mesma. Acho que ela repetiu tanto essas palavras que isso só fez eu regredir. Ela acha que tem problemas, que é uma mulher mau amada, que ninguém se importa com ela e deixa ela fazer tudo. Que ela tem que trabalhar quenem uma escrava e que ninguém pede ajuda dela. Porque ela mesma não pede ajuda? Depois eu não sei falar as coisas, né?

Talvéz muitos pensem que o que eu escrevo aqui é imaginação da minha cabeça. Que o Diário de Bordo não é de verdade. Que é só coisas da minha imaginação. Mas não é. É tudo real. Tudo aconteceu mesmo. E eu não preciso ficar exagerando na imagem da minha mãe. Ela é tudo isso aí que eu falo. Uma baixinha, cabelos loiros, gorda, cheia de sardinhas e muitas olheiras embaixo do olhos. Tem uma cara de mulher mau amada e que não tem naaada de autoestima. Roupas velhas e gastas com o tempo.

Essa é minha mãe.

Até os dezoito. Devo obedecer ela. *cochicha: faltam três anos* Estou na casa dela. E provavelmente a minha faculdade ela que vai pagar. Então ficarei mais um tempo com ela. Tendo que me esquivar dos raios da morte da minha mãe.

Será que eu aguento?

Boa pergunta...

Obs.: Sim, eu estou bem emo, foi mal^^'

14 de agosto


Diário de Bordo, 14 de agosto de 2008 - ouvindo "Thunder - Boys like girls"

14: 50: Sim, a mãe me vem com cada assnto. No elevador, ela me perguntou (detalhe, estavam: eu, PEDRO e ela no elevador) se era verdade que os emos jogam pros dois lados. Eu entendi na hora, mas fingi que não fazia idéia do que ela estava falando. Ela falou cochichando se eles ficavam com os dois tipos. E eu disse que sim, que boa parte das PESSOAS faz isso. E ela disse: tá, mas os emos fazem? E eu disse, maaaas uma vez, que 75% dos emos são gays e os outros 25 a gente ainda salva. E eu fiquei encucada, e perguntei para ela se era o emo da escola dela que era isso (ela veio ultimamente querendo achar caras pra mim, disse que tinha um emo no colégio dela e mais um que gosta de naruto). E ela disse que disseram para ela que ele era isso porque era um emo. Eu fiquei fula e disse: Que foi a bicha que te falou essa merda? E a mãe disse que foi uma professora????????????????????????Oo

Me recuperei. Fala sério..... Essa mulher deveria ser casada e demitida e jogada no fundo de um poço e as pessoas nunca mais saberiam dela em lugar nenhum. E choveria e ela ia se alimentar da água da chuva e depois de dois anos vão encontrar os..... Ta, desculpa pela história dramatica que eu imaginei....mas que seja. Fiquei sem palavras para descrever o quanto uma professora pode ser tão anti-ética para ficar espalhando por aí que um de seus alunos é GAY. Cara, isso é ridiculo, ela esta fazendo bulling. Uma coisa que tantos mestres da educação tentam driblar e eu fiquei fula. Grrrrrrrr.....Morra essa mulher que jamais deveria ser chamada de professora. Mas que seja. Daí isso despertou o interesse da minha mãe em bisbilhotar a orientação sexual de sua querida filha de 15 anos. Então ela começa a pergunta coisas sem cabimento nenhum. Como: Mas você é emo mesmo? Ou: Você da pros dois lados, filha? Você não ta pensando em fazer isso, né filha? Ou: voce conhece alguém que seja assim? Eu apenas virava os olhos e mandava ela calar a boca baixinho. Eu ia pro meu quarto e ela continuava. Daí depois eu perguntei pra ela que se um dos filhos dela vira-se um gay, o que ela ia achar disso? Ela ficou enchendo dizendo que eu tava pensando em virar. Eu disse filhOS. E disse pra ela não fugir do assunto. E dai ela disse que, sim, ela ia jogar o filho pela janela e nunca mais olharia para a cara dele. Falando em tom de sarcasmo. Grrr......ela nunca me leva a sério. Grrrr..... Tonta.

15: 30: Agora estou em casa cuidando das pestes dos meus irmãos. O Rodrigo acabou de ter um surto psicótico e saia correndo pela casa gritando no ouvido de quem passa-se. O Pedro começou a se irritar e deu um soco na barriga dele. o que deixou o rodrigo mais louco ainda. Daí o Pedro empurrou o Rodrigo contra a minha porta. Eu abri a porta e gritei qualquer coisa pra eles calarem a boca. Porque estava tentando lembrar onde tinha botado a minha poesia. E daí o Rodrigo gritou no meu ouvido e eu wempurrei a cabeça dele pro lado e mandei o Pedro pro banho, porque daqui a meia hora eu vou levar ele pra uma festa na fun house. Então....
O que eu acho um desperdício de água o Pedro tomar banho agora se la na funhouse ele vai virar um picolé de Pedro. Mas que seja.....Ordens maternas são ordens maternas.... Na verdade a maioria eu não obedeço. E isso de ordens maternas foi ironia da minha parte. Porque a ordem materna vale menos que a ordem paterna. XP

tsc, tsc...

- agora vou futricar na internet
- levar meu irmão em um tal aniversário
- e estudar
- e fazer trabalhos

16: 54: Não, vcs não vão acreditar, né? Eu sai de casa as 16h achando que estava atrasada, chegamos quase na frente do treco e o Pedro me lembrou que a gente tinha esquecido o presente do garoto em casa. Daí voltamos tudo de novo. E pegamos o presente. Voltamos e a mulher disse que era só as cinco. Eu: "Ah........muito obrigado". Como descobri recentemente que tenho uma certa mania em falar obrigado por nada. Sai com o Pedro, que a essas horas ja estava caindo de tanto cansaço. Eu ja to acostumada de descer lomba, lembrar que esqueceu o irmão, subir lomba de novo. Descer novamente, lembrar que o casaco do irmão ficou la, subir de novo. E depiois de uma hora do esperado sua mãe te pega em casa. E depois fica te fazendo perguntas do que eu estava fazendo pelas rua ainda se era só para buscar o rimão na escola. Oo

É a vida
Tchauzinho!!

*smack*

10 de agosto


Diário de Bordo, 10 de agosto de 2008 - ouvindo "Break the ice - britney spears"

09: 41: Eu tava tendo um sonho tão legal, mas o despertador tocou às 7 da manhã, porque eu sempre prefiro acordar nesse horário. Mas hoje não. GRRRRRRR...Mas eu tentei continuar o sonho, mas não deu certo. Dormi de novo até às 9h16min. Eu acordo novamente, porém, não me lembrava mais do sonho do sono anterior. Grrrrrrrrrrrr... Levantei, peguei Roxanne (meu MP4 novo que comprei sexta) e peguei meu dicionário (Oo), eu queria procurar uma palavra e achei muitas legais com pan na frente. Eu gosto de palavras com pan na frente.

HUhUAHAUHUAUhahAUhuHAUUAa. O prefixo pan é divertido. Resolvi levantar e escrever aqui. Bom, agora vou procurar mais palavras e escrever minhas histórias, bejuxxx...

E vamos usar uma coisa que eu aprendi agora a pouco, Água e meu quarto são minhas eternas panacéias. XP (não entendeu, vá ler o dicionário, oras)

20: 36: Cara, as vezes meu pai me da medo, sabe? Eu tava aqui passando texto de Filosofia a limpo quando sai para ir no banheiro para pegar minha manteiga de cacau quando passo pelo quarto dos meus pais e vejo meu pai no computador jogando paciência ao som de Big Girls don't cry - Britney Spears. Oo

Hoje foi um dia divertido, tirando a minha mãe existir, foi tudo bem. :)

Hoje era o último dia de gravação do cine. Eu fui ao meio dia pra casa da minha vó (epa, a casa é do meu vô também 8 ) almoçar, e tava a Vi, a tia, o Arthur, o Lucas (meus lindos priminhos: a Vi tem 16, o Arthur tem 12 e o Lucas tem 11 :)) e até a Susi (Susi é minha tia que mora em Brasília, tem 25 mais tem "a" cara de 16, meeeeeesmo). Tava também o vô e a vó (sério??) e o tio Yuiti (sim, é esse o nome dele e sim, é japonês. Sim, eu sei de tudo isso). Eu mostrei toda empolgada a Roxanne pra Vi, o que se repetiria com o Guilherme, essa empolgação pela pobre Roxanne (meu MP4, okay??). Depois de ter comido um belo e gostoso almoço, com carne mau passada para a felicidade de Vitória e Luana, salada de batatas e tomatinhos, banhado de muita coca, chegou a parte das sobremesas. Meodeos, tava óóótimo (ahhhhh, acabei de deixar a pobre Roxanne "quase" cair no chão, desastraaaada^^'). Tinha uns três tipos de sobremesa, e aquilo tava muito bom, tinha bolo de coco, bolo de alguma coisa boa, provavelmente doce de leite, e panquecas recheadas de nutela. Pois bem, devido ao meu precioso tempo, não pude provar das maravilhosas panquecas, mas que deu pena, deu. Fui com o pai até a casa do Lucas, onde seria gravado o curta. Chegando lá, toquei o interfone, o Lucas (sério??) atendeu. Abriu o portão. Por precaução, eu fui de escada (explicação rápida: o barulho do elevador poderia atrapalhar a gravação). Chegando a casa, o professor me deu oi e ja me perguntou se eu havia trazido dinheiro (XP). Eu, óbviamente, afinal, é o meu trabalho, trouxe o dinheiro. Eu fiz as contas (na verdade, ontem eu não tinha feito conta alguma, hoje foi o único dia em que, sinceramente, fiz meu trabalho meeeeesmo), paguei quem eu devia como dona do dinheiro do curta. E aaaaaaaaaaah!!!

Eu to com dor de barriga!!!!!!!! Droga!! Eu comeria um elefante (na verdade não, porque amo elefantes e seria psicologicamente impossível eu comer um, tendo conciência disso). Enfim, eu nesses ultimos dias, nessas ultimas horas, ando sentindo dor, e não é porque eu tenho cólica, ou dor de barriga, ou qualquer outro tipo de dor. É pura e banalmente fome. Ta, falando banal, faz parecer que ninguém passa fome nesse injusto mundo (emos, não vão nos seus respectivos banheiros se cortar por isso, o mundo é realmente injusto, e não vai ser com uma cicatriz no seu pulso que isso vai mudar). Eu ando passando fome, eu tenho fome, eu sei disso, mas eu não vou comer, sabe. É estranho. Eu vou ao máximo do meu limite, daí acontecem coisas como eu ficar tonta e com queda repentina de pressão emcima de uma cadeira na área de serviço. Eu fico pensando, ta, eu to com um pouco de fome, mas não devo estar tanto assim, e esqueço. Daí eu passo mais uma hora, e penso de novo, não, eu estou mesmo com fome, mas nhaaa, daqui a duas horas vai sair o jantar, eu "consigo" esperar. Mas na verdade eu não consigo cara*** nenhum. Eu estou com fome, eu talvez daqui a duas horas sabe-se la o que pode acontecer, e eu digo que "consigo" esperar. Grrrrr.....Whatever, eu estou com fome, mas eu tenho outro motivo do porque eu não vou comer nada, minha mãe deve estar na cozinha fazendo a janta, e não vai me deixar ir la comer alguma coisa, snif, snif....Criança desnutrida, snif, snif, Dante desnutrido, huahauhauahuhaau (piada interna)

21: 04: O curta foi passando, logo que cheguei la, ninguém notou muito a minha presença, dai, dois minutos de mim estar la, o Guilherme finalmente notou a minha presença. whatever (agora eu to com mania de falar isso, porque a Julia fala). A gente ficou no sofá, eu, o Guilherme, a Heloísa, o Bruno, a Giulia, a Dudi, a Tamani, a Julia e a Nathália. Sem fazer naaaaaada, bando de desocupados inúteis. Mas bem, daí teve uma hora que eu, a Heloísa, a Júlia e o Bruno discutimos sobre fazer uma aposta com o Guilherme, ele teria que ficar o resto do dia sem falar desculpa, porque ele tem mania de falar desculpa. E isso as vezes nos irrita profundamente, ou então ele teria de pagar dando 1 bombom para cada pessoa de lá. Que eram, ou seja, oito bombons. Não deu outra, em menos de uma hora, ele ja devia cinco bombons para cada pessoa daquela sala. Porque depois concordamos que seria um bombom para cada desculpa falado, e ele, logicamente, falou cinco desculpas. Coitado do Gui....

Depois, acho que eram umas cinco e meia quando o sor mandou eu, a Julia e o Gui embora, ta bem então. Ele disse que a gente não era mais útil, então a Julia e o Guilherme tiveram uma grande idéia: vamos ao shopping!! Eu pensei ainda, porque: eu quase nunca desobedeço minha mãe e saiu por aí sem falar com ela. Mas pensei que não faria mal se eu fosse no shopping e depois voltasse pra casa do Lucas e esperasse ela lá. Pois bem, daí foi eu, o Guilherme e a Julia no shopping, bem felizes: Julia parecendo aquelas crianças que tentam parecer inglesas, o Guilherme com uma pasta na mão, como se tivesse acabado de voltar da escola em pleno domingo de dia dos pais. E eu com meu sobretudo legal, que como diria o Gui, parecia coisa de Hogwarts, tuuuuuudo bem. Eu queria que parecesse da O. 13, não de HP. Mas ta bem então, talvez ajude que eu tava com minha blusa de executiva também. Embora minha calça rasgada estragasse tudo. Chegamos no shopping, e eu nunca havia passado pelo shopping com o mercado fechado, foi estranho. E metade das lojas também, pelo menso a livraria cameron tava aberta.

Embora não tivesse DN 10 pra comprar. Grrrrrr...... Fomos dar uma passadinha pela praça, não vimos nenhuma mesa legal vaga. Fomos dar meia volta, vimos um cara com um cabelo parecido com o Lucas, vocalista do Fresno, e fomos embora. Chegamos novamente na casa do Lucas, embora nosso caminho não tenha sido de boa escolha, fomos pela rua mais movimentada de São Leopoldo, e nossas famílias poderiam nos descobrir. Mas whatever, chegamos na casa do Lucas, O Guilherme ligou pra mãe dele, foi pra casa (e a mãe dele descobriu que a gente tinha ido no shopping, Oo) e eu e a Julia ficamos esperando nossas respectivas mães na frente do apartamento do Lucas, seis e meia da noite, escuro e pessoas suspeitas andando as ruas, em um domingo de pais. Esse foi o dia dos pais mais louco que eu ja tive. A Julia foi embora, eu fiquei mais um tempo sozinha, meus pais chegaram e foi isso. Eu ia dizer que era só isso, mas olhei lá encima e....foi bastante coisa, então... Fui.

Como diria Roxanne, Bye-Bye. (> <) 21: 50: HAHHAHAhAHahAHahAHAahhhaHA, cara, isso foi hilário, eu estava lendo uma história minha de dois personagens, um meu e uma da cahh(a cay e o brendon) e daí começou a tocar Girlfriend, da Avril, sério. Foi muito errado. HuahuHAahuAuhaUhuHUhu, mas, infelizmente, você, mero cidadão, não entenderá. Piada interna. Mas sério, foi hilário. Foi bem na parte que o Brendon pergunta pra Cay o que ela sentia exatamente por ele. HUhuhAUHAUhaAuaHAuaUAhauhauHUA

Bye-bye, bitch!!

9 de agosto - 3/3


terceira parte:

Daí a gente foi na tia, finalmente fomos. E quando eu cheguei la, minhas lágrimas ja tinha secado. E tipo, quando a gente tava no elevador pra ir até o carro. Ela me disse:

- E essa blusa? Não bota ela pra lavar nunca!! Já deve estar apodrecendo. - Claro, conte com isso.
Daí eu disse, ja estressada com ela não ter me dado a mínima.

- Mãe, fica quieta. Só sai lixo da tua boca. Tu nunca fala nada de bom.
Ela olhou para mim tipo, quem-essa-piralha-pensa-que-é?-Pra-falar-comigo-assim,-eu-sou-a-diva.

- E esse casaco?? Vai sair caminhando um dia desses.
Daí a gente entrou no carro, e como se eu não pudesse ouvir nada que a mãe falava na frente. Ela falava:

- "Só sai lixo da tua boca" - fazendo uma imitação minha, me provocando.
Daí o pai disse:
- O que não deixa de ser verdade. Mas tudo bem.
A mãe dai ficou quieta, depois continuou:
- "Tu não fala nada de bom". - Grrrrrrrrr........cara, deu vontade de pular no pescoço dela. Ah, como deu.

E ninguém falava nada. Mas tipo, a gente não pode falar, rir, não pode ficar triste, feliz, agitada, lenta. Que a mãe ja começa a reclamar e a ficar gozando com a nossa cara. Tipo, ela teve uma educação assim, e aprendeu a ser assim. E ela sempre reclama dos pais dela. Que eles deram uma má educação pra ela. Mas ela faz a mesma coisa. Puxa. Ela nops reprime. Demais. O Rodrigo fala alguma coisa legal. Tipo, que ele aprendeu, e se é obvio pra ela. Ela fica gozando com a cara dele. Grrrrr.....Eu virei essa pessoa inibida. Quieta, na minha, silenciosa, esconde as coisas das pessoas, guarda os sentimentos, mas quando eu era criança não era assim. Quando pequena, é só você virar tudo para o sentido oposto de como eu sou agora. E eu sinceramente, me preocupo muito com isso, me preocupo porque ta acontecendo a mesma coisa com o Rodrigo, sabe.

O Rodrigo as vezes é meu clone do que eu to sendo agora, sabe. Ele ta passando pelos mesmos estagios. Ele tem: falta de atenção, é agitado, gosta de comer (a diferença é que eu não engordava, ele engorda bastante), tem problemas no colégio, é falante na maioria das vezes e fala as coisas sem pensar. Exatamente como eu era. Era. Agora, boa parte dessas coisas, a minha mãe mudou, sabe. As consequencias foram desastrosas. As vezes eu não consigo pedir as coias pra ela, as vezes eu moro de medo de pedir pra minha ma~e pra matar natação. Eu tenho muito medo da minha mãe. Tipo, a gente tem medo do nosso pai na maioria das vezes. Mas meu pai é meu amigo, as vezes eu falo mais as coiaas com ele. E com ele, eu posso conversar, sabe. Ele não tem maudade, ele não fica apenas rindo da minha cara. Ele me escuta, ele fala comigo sobre o problema. Não fica apenas me reprimindo e falando mais ainda do problema. Sabe. Eu reclamo bastante do meu pai, mas ele é bem legal. :)

Bom, dai depois do aumoço na casa da Vi, todo mundo ficou perguntando o que eu tinha. Lá, ja tinha passado a tontura, mas a dor de cabeça ainda tava bastante forte. Ela é 100% psicológica a minha dor de cabeça. A Vi pra me alegrar, me mostrou com uma cara cetica, o Tokio Hotel na capricho, eu disse que ja tinha visto e fiquei rindo sozinha com a entrevista do Tom. É hilario a forma como ele responde ser verginha nenhuma o que ele pretende fazer com as brasileiras, e o que ele faz com as fans dele. Esse Tom, tsc, tsc, ele é tão fofo. E claro, o pobre Bill, que todo mundo anda chamando de o vocalista escandalo, e dizendo que ele tem um estilo bem androgino.

Tadinho.

Depois fui pro curta. E aiai, um dos atores era tãããão lindo. O alexandre, e a atriz era legal, a Cristina, ela era beem baixinha. Mas tipo, o cara se chamava Alexandre, e ele tem um cabelo enroladinho fofo, e um sorriso muito bonito, e uns olhos azuis (ou verdes) claros lindos. Aiaiai. E o ator mais velho, que deve ter uns 50 anos, ele era muito legal, ficou conversando, e dando tapinhas amigaveis na gente. E me estendeu a mãe três vezes. Uma para dar oi, por que eu atavem um cantinho emo vendo a bagunça da Heloisa, do Vargas e do Bruno. A Julia ficou o negócio inteiro no computador. E a outra foi para ele perguntar se eu tinha feito o bolo, eu disse que sim (mentiiiiiiiira, foi minha mãe, mas como tava braba com ela, disse que foi eu quem fiz). E na terceira foi pra me dar tchau. E ele beijou minha mão. Que fofo. Mas que seja. Eu fiquei no auge da minha dor de cabeça la. E eu me mexia e sentia um mau estar terrivel. Terrível. Aaaiaai. Eu vou ver ele amanhã. Mas o seu Luís, não. Ele ter terminou as cenas todas dele hoje.

Depois a mãe me ligou e foi me buscar.

E fomos na casa da vó. Mas ela não tava em casa. Dapí chegamos la embaixo, e os manos sempre gostam de ir buscar a correspondencia. E eu gemendo. E tipo, a mãe foi bem devagar pôr as correspondencias no lugar, nem tava ai pra mim. Sabe, tu ja sentiu um puto ódio por uma pessoa. Acho que essa é a minha mãe.

Eu sei que é horrível, mas é sério. Ela começou a me odiar primeiro. Grrrrr...

Então beijo
E da próxima tentarei postes mais curtos, e desculpa.
Tchau!!

9 de agosto - 2/3


Diario de bordo, 9 de agosto de 2008 - 2/3 - A volta dos que não foram, k-k-k-k-k - ouvindo "Hells over head - boys like girls"

19: 15: Sim, eu ja tinha escrito, mas só escrevi sobre ontem. Agora escreverei sobre mim. Antes mesmo de mim terminar de postar minhas coisas. Minha mãe me chamou para estender a roupa. Eu fui estender a roupa no varal da area de serviço, e lá é horrível. Tipo, tu tem que levantar e baixar a cabeça, levantar e abaixar, ... Mas eu erstava morrendo de fome, mas tinha muita roupa, e eu disse que ia comer depois do trabalho com as roupas. Dai eu tava na metade, e começou uma dor de barriga horrível. Era na parte de baixo, no começo eu achei que era cólica, mas não era. Meu pai as vezes passava na cozinha e ficava dizendo que eu to branca demais, mas ele sempre diz isso. Então e nem dei ouvidos. Então eu fui ficando com muita dor de cabeça, muita, quando comecei a chorar de dor de cabeça, era tão forte, mas eu não parava, eu sabia que não podia parar, sabe. Minha mãe tava na cozinha (e logicamente não reparou na minha dor, ela não ta nem ai pra mim, ela me odeia) lavando a louça. A dor era realmente forte, sabe. De repente eu comecei a ficar tonta, ja que eu tenho pressão bem baixa, sabe?

Uma vez na quarta série, eu tive a mais grave de todas que eu ja tive, eu tava no coléguio descendo a rampa quando começou a ficar tudo apenas com pontinhos coloridos, sabe. Tipo, tava tudo misturado, tudo. Eu não via nada, só o colorido das cores ambientes. E era hora do recreio, então is todo mundo saindo correndo, e eu la, descendo a rampa, e todo mundo me chamando de tonta, porque eu tava batendo em todo mundo, mas eu tava realmente tonta. Eu cheguei no refeitório (não me pergunte como eu consegui isso) e foi passando aos poucos.

Mas que seja, dai eu ja estava quase acabando, faltava umas quinze meias quando eu com ecei a cair, olha o perigo: eu tava encima de uma cadeira. E tipo, eu la morrendo de dor e minha mãe atras de mim:

- Luana!! Vai rápido nisso aí. A gente vai sair daqui um pouquinho, depois eu te levo naquela droga lá do teu curta (era de tarde a gravação do meu curta)!!!

E eu morrendo.

E ela gritando.

Até que, quando faltava umas sete meias. Eu cai (graças a Deus foi encima da cadeira, tipo, minhas pernas ficaram moles e eu sentei na cadeira). Bom, nessa hora minha mãe estava muito nervosa. Gritando sem parar com todo mundo.

- Luana, levanta e termina de estender essas roupas. Rápido, a gente ta saindo!!!

Eu levantei, e minha vista começou a embaralhar, e chorando muito, eu terminei as roupas. Mas tipo, eu choro sem fazer barulho (só quando eu choro meeeeeesmo, por uma coisa psicológica, não física, como era o caso agora. Nossa, não queira me ver com uma dor psicológica, acho que tu chora junto ; ;), então ninguém percebeu. Daí eu desci com o maior cuidado do mundo para não cair. E fui pegar meu tenis, meu pai me viu quando eu cai sentada no chão, chorando (que bom que ele nota minha tristeza, snif, snif) e me disse incrivelmente sério:

- Luana, tu ta muuuuito branca.

Eu levantei do chão e cai sentada de novo. Ele perguntou:

- Luana? Tu ta bem? O que que foi??
- Pai... - chorando muito - e-eu to mal... To tonta...
- Tu precisa comer... Porque tu ficou tonta??
- Foi quando eu comecei a estender...

Nisso, minha mãe chegou, olhou para mim e disse alto, o que me fez sentir dor no ouvido.

- O que que foi? O que houve? Porque tu ta chorando? O que que tu fez Marcos?? Anda Luana, o que aconteceu??

Eu fiquei mais tonta ainda com o grito dela. Balancei a cabeça (detalhe: tudo isso no chão da sala) negativamente e devagar, porque ela tava explodindo. Minha vista continuava embaralhada, mas não tava tanto, conseguia ver, diferente da quarta série.

- Mãe...eu to tonta...eu to com fome, eu to com a vista embaralhada, eu to... - nisso, encostei a mão na minha cabeça de dor.

A mãe dai ficou reclamando de como ela já queria estar no carro, o pai e eu só virava os olhos. Tipo, ela em vez de se preiocupar com a filha dela, não, ela é mimada, egoísta, grrrr...nem vou mais falar. E dai o pai me ajudou a levantar, eu pus meus tenis e entrei no elevador. Antes, eu me virei pra mãe e perguntei sobre a pizza, que eu ia levar de lanche no curta:

- Mãe, e a pizza?
- Sim, Luana. Eu vou deixar a pizza, eu passei a manhã fazendo, e agora ...

Nisso, eu ja tinha me virado de costas, ela ficou falando sozinha. Eu sempre quando me encho dela, o que nunca demora muito pra acontecer, ignoro ela. Aprendi o mecanismo entra-por-um-ouvido-sai-pelo-outro. É assim que eu ainda aguento ela. Se fose por mim, eu partia de casa a qualquer momento, mas eu não tenho dinheiro, não tenho emprego e tenho só quinze, grrrr......

Droga, quero um emprego, quero ter 18. Grrrrr..... Eu acho.

9 de agosto


Diário de bordo, 9 de agosto de 2008 [1/3]- ouvindo "Nine in the afternoon - panic! at the disco"

Como ficou muito grande, vou dividir em três partes. Aí vai a primeira:

09:27: Sim, eu acordei as oito hoje, que por acaso é um Sábado. Sim, eu sou louca, mas que se dane. Eu prometi a algumas pessoas (como diria meu professor de Física: Não quero citar nomes) que escreveria aqui minhas aflições, e é isso que estou fazendo. Porque ontem foi um grande dia.

Bom, ontem teve prova de Biologia, e eu ultimamente ando realmente mal na escola, mal meeeesmo. E meu professor conselheiro disse que fará contato com meus pais por isso. Para avisa-los, e eu não quero isso, eu odeio ter que pensar em meus pais me pondo mais pressão do que ja estou tendo de mim mesma. Talvéz por isso não goste de competições de natação, não sou muito competitiva, e na competição ficaria em pressão para ganhar. Minha prima disse que não tem nada a ver, que ela não faria pressão nenhuma, jamais. Mas não é o fato dela fazer pressão, eu mesma não consigo fugir de minha própria pressão. Eu gosto de nadar e não preciso competir (ta, isso me lembrou o Demyx que não gosta de lutar, que lindo).

Mas ontem eu sai da prova de biologia ainda em transe, fui na biblioteca, entreguei um livro que ja estava com quatro reais de multa. E fui para o recreio com a Cahh. Eu estava fazendo um esforço enorma para nem lembrar da prova que tinha acabado de fazer. Porque eu até agora ja tirei uns cinco Is, que é a nota mais baixa do meu colégio. Eu não aguentei.

Cheguei em casa e almocei. Depois sai com minha mãe para ir no dentista, que a propósito, me enfiou uma plaquinha de metal bem no meio do aparelho, o que fica bem no meio dos meus dentes. Grrr...E depois do dentista, eu fui direto comprar meu MP4, finalmente, ele é lindu, verde e se chama Roxanne. Mas quando estavamos na fila do caixa, eu lembrei das caixas de som e do cabo USB pro meu celular, grrrrrrr..., minha mãe ficou realmente braba comigo. Disse que eu era muito tonta e nunca me lembrava de nada importante, e até porque, eu tinha me esquecido do meu celular em casa para mostrar a abertura do cabo (por esses e outros motivos eu não conto mais nada de minha vida amorosa para ela, ela provavelmente falaria: Você não se lembra de nada nunca, fica só pensando no sei la quem, mesmo que eu me, esteja pensando no dito cujo, ou não tinha lembrado em pensar). Mas dai saímos de la sem falar nada, e eu fiquei braba comigo mesma, por isso. Daí fui pra casa, verifiquei meu SAQ, eu tirei 11/20. Não é tããão ruim. Mas eu estava triste porque o SAQ me fez lembrar dos meus Is, e eu preciso fazer alguma coisa a respeito. E me lembrou da prova de Biologia. Tipo, eu faço as provas e saio ou pensando que tinha tirado uma nota boa ou uma ruim. E nessa de biologia, eu acho que consegui tirar um R, mas na maioria das provas que eu tirei I, eu achavaa que tinha ido bem. Sabe, então, não sei o que fazer. Preciso pensar a respeito. E deitei na cama com o Oliver.

Chorei pela prova, chorei pelos Is, chorei por matemática, português, Física e Geografia. Só não chorei por Química, porque essa eu VOU dar a volta por cima, tenho certeza. Mas dai eu fiquei conversando pelo MSN com o Guilherme e com a Cahh, eu estava tentando esquecer da prova, mas era inevitável. A Cahh uma hora saiu, e meu pai entrou no computador. Ele fez as coisas do MP4 pra mim, ficou mais ou menos uns quarenta minutos só naquilo. E depois, quando finalmente acabamos, o fone não estava funcionando de um lado, quenem o da Cahh, alias, o fone era idêntico ao dela. E dai meu pai disse que eu precisava trocar e me deu um novo temporariamente, eu acho que é temporariamente, não tenho certeza. Com meu pai eu nunca tenho certeza de nada.

Daí eu e o Guilherme chegamos ao assunto meninos. E como ele é Bi, e gosta de um cara lá, é legal conversar com ele. Mas dai eu me lembrei também de como eu preciso meesmo de um namorado. Sabe, e disse que se eu não ficar com ninguém (sim, sim, eu sou BV) até os 18 anos, eu viraria do lado azul da força. E o guilherme ficou dizendo pra mim não fazer isso. E eu disse que provavelmente não faria. Até porque, não vai ser falando que eu vou ser. Mas sabe que quando eu era pequena (sim, pequena pra mim é a dois anos atras), eu acreditava que se um cara não arranja-se uma pessoa, ele acharia que aquela situação não daria certo. E como numa valvula de escape, ele começaria a ver os amigos dele de um jeito diferente. Isso também se encaixaria em lésbicas. Mas depois descartei a idéia. Pensei também que a pessoa estaria destinada a ser gay desde o primeiro minuto de vida. Mas isso eu também descartei. Porque de fato, talvez até seja. Mas pode acontecer tantas coisas. A educação, as relações da pessoa. Tudo influencia. Sabe.

Então pensei, que se a pessoa se apaixona por uma do mesmo sexo, pronto! Esta feito. Não tem mais como mudar, mas dai eu lembrei dos bis. E qual era a deles??? E eu pensei enfim, que eu jamais viraria uma lésbica completa, porque eu na certa viraria então uma bi, porque eu nunca não pensaria em um menino. Aiai, tem cada menino legal por aí. Eu e o Guilherme chegamos a conclusão de que os caras legais estão tudo com as meninas erradas, ou meninos errados. Mas dai eu comecei a chorar porque não tinha ninguém. Até o Guilherme disse que ama alguém (um menino) e que esse menino ama ele. Dai eu entrei mais em depressão ainda. E justo nesse momento, a internet da Cahh ja tinha ido pros ares a muuuito tempo. E eu fiquei la chorando minhas magoas com o Guilherme, coitado. Nem me conhecia muito e agora ja sabe de "quase" todos os meus problemas.

Mas de acordo com minhas idéias antiquadas de pequena, se uma pessoa como eu, ficasse tanto tempo sem ninguém ou ter se relacionado com ninguém, ela viraria gay. Bom, vamos rezar para que eu esteja errada.

Nossa, isso ficou gigante meeesmo. Acho que vou parar, é isso, escrevi o que me atormentava ontem de noite e estou mais limpa, mas ainda choro pelos Is, e agora ouço Spring Nicht do Tokio Hotel, tem coisa mais emo para alegrar meu dia??

3 de agosto


Diário de bordo, 3 de agosto - ouvindo "Sweet Escape - Gwen Stefani"

21: 54: Isso foi tão cabalistico. Eu voltei do jantar e fui pra minha cama e fiquei conversando com o Oliver (meu gato de pelúcia) sobre eu não ter um namorado pra amassar na minha cama e pra abraçar e pra beijar.... Quando me toca o telefone. Era o Bruninho. Ele tinha me mandado uma mensagem, perguntando como foi no Sábado, ja que ele não foi no mc junto com as garotas (tia, camila e tizi). Ele se lembrou de mim. Weeee!!!! Alguém se lembra de mim. Sabe, eu preciso de algo verdadeiro.

Minha mente encontrou uma valvula de escape, ela chamou minha alta imaginação para me ajudar a esquecer isso. Eu sinto eu com outras pessoa (na verdade, quase sempre são personagens que eu gosto). E eu sinto meesmo, como se eu não estivesse sozinha, sabe, que alguém esta me beijando, ou me abraçando. Mas eu sinto falsamente isso, porque não tem ninguém la, eu tenho alguns amigos imaginaveis. Isso me satisfaz até um ponto. EU PRECISO DE ALGO VERDADEIRO!!!!

PRECISO AMASSAR ALGUÉM!!!!

Estou ouvindo rádio e achei frases legais numa música:
"Querer o sim, e não se acostumar com a solidão e o medo de amar..."

AHHHHHHH, AGORA TA DANDO same mistake - james blunt (SIM, EU GOSTO DELE!!!)!!!!! *-*(aleatório)

continuando as frases:
"Ficar a fim, e não poder falar"
"Estranho vazio no seu olhar..."

Uhhhhh, ta, agora vou embora, tchau!!

2 de agosto


Diário de bordo, 2 de agosto de 2008 - São leopoldo - "ouvindo that's what you get - paramore"

11: 41: Estou na casa da vó geni (minha vó paterna). É aniversário de 60 anos dela e ela resolveu fazer uma grande festa. As mulheres conversam, as crianças (rodrigo - 9 anos, gustavo - 8 anos, pedro - 7 anos) estão se matando na sala de TV, e as menininhas (vitória pequena(minha outra prima Vitória, eu tenho duas) - 11 anos, e suas amiguinhas de uns 10) estão brincando la fora. Não sei o que fazendo, e os homens estão la fora conversando sobre coisas. Acabou de passar uma menina que deve ser minha parente, eu não vejo ela a aaanos (é sério, deve fazer uns seis anos) e ela ta parecendo uma emo, agora virou moda!! A cho que o nome dela é Camila. Sim, eu confirmei com a Cris, é Camila. Ela pintou o cabelo de preto, antes era castanho claro e cortou o cabelo tooodo repicado do jeito que eu quero fazer, antes seu cabelo era corte reto. E ta com uma pele bem branca e com bastante espinhas bem vermelhas, coitada. Eu tive de sair da sala. Eu estava sentada quenem o L (death note) e minha mãe me disse pra mim sentar direito, e que eu não tava em casa. Engraçado, as pessoas sempre dizem pra você se sentir em casa quando chega a um lugar. E na verdade você nunca se sente em casa. E nem age assim, é bem irônico. Mas também tive de sair agora da sala de TV, porque eu não aguentava, aqueles garotos idiotas piralhos não paravam de se matar. E agora estou de volta com as mulheres porque minha mãe saiu. Estou tendo altos papos com a Cris, é a única pessoa com quem eu posso conversar aqui. O resto é um bando de velhas que nem sabem ler o que eu to escrevendo aqui.

Beijus
tchau!!

1 de agosto


Diário de Bordo, 1 de agosto de 2008 - ouvindo "the best damn things - avril lavigne"

09:18: A mãe acabou de sair. Deve ter ficado assustada quando chegou no quarto, com a luz desligada, o som lugado, dando piece of me, da britney spears e o computador ligado, comigo na cama agarrada com o oliver(meu gato de pelúcia) e com cabelo na cara, parecendo uma chapada, e acordada. Ela disse que ia sair para caminhar e me disse que eu pudia ir tomar um chazinho depois ou alguma bolacha, tanto faz. É que eu acordei e fui ligar o computador (agora estou ouvindo that's what you get - paramore e me empolgando) para passar a limpo todos os diários de bordo de brasilia que eu escrevi em meu caderinho de nikkei. E escrevia de um dia e ia deitar um pouquinho, com o som ligado. Até me deu inspiração para escrever uma história enquanto dava lonely september - plain white t's. Mas nessas indas e vindas, minha mãe entra no quarto e me vê na cama com o computador e o som ligado, ta né.

31 de julho


Diário de bordo, dia 31 de julho de 2008 - Ouvindo "When you're gone - Avril lavigne"

Perto do meio dia: Estou em uma pracinha na frente da firma do pai. Os manos estão brincando, enquanto eu estou sentada nesse banco amarelo pichado. Tem uma pista de skate aqui, eu lembrei do Lawrence (personagem de uma garota da alemanha (hehehheeeehhe, pobre de vc que não faz idéia do que eu estou falando)), ele é um skatista-emo, e me deu vontade de criar um personagem skatista-emotivo também, quenem o Lawrence.
O pai chegou do trabalho. Vou aumoçar.
Tchau, por hora. ;)

17:28: Eu sempre inundava o banheiro enquanto tomava banho. Minha pobre mãe sempre tinha que secar até o teto. Eu uma vez fui tomar banho na casa da vitória. E o box do banheiro eram separados por uma relis toalha e um murinho da altura de um pé. Adivinha? A Luana inundou toooooodo o banheiro, eu acho que me mexo demais os meus cabelos, braços, sei eu, mas eu sempre molhava as paredes até o alto. Mas hoje quando eu fui tomar banho, foi um pouco demais, a janela do box sai na área de serviço. Acredita que minha mãe depois do banho foi me chamar furiosa que eu tinha inundado a área de serviço?!?!!!!

Tá certo, eu não inundeeeeei a área de serviço, mas tinha um considerável laguinho nela. Ninguém merece, eu causo problema até na hora de tomar banho.

27 de julho


Diário de bordo, 26 de julho de 2008 - São leopoldo - ouvindo nada

10:08: Acabei de ver novamente alguns vídeos de death note e até uns outros velhos do MCR que eu tenho. Quando não tenho internet e não estou inspirada para escrever, é isso que eu faço, além de outras coisitas más. Minha mãe passou por aqui e me pediu para mim estender roupas, com licença.

Tchauzinho, porque depois vou estudar. Faça o mesmo.

26 de julho


Diário de bordo, 26 de julho de 2008 - ouvindo "break the ice - britney spears"

Voltei para São Leoplodo!!!!

22:05: Eu cheguei em casa agora, estava na casa da julia, depois na casa da tia regina, agora liguei pra cahh, ela vai na praia comigo, vivaaaaaaa!!! Sim, a mãe dai disse, depois que eu desliguei o celular: "Agora só falta você convidar a tizi, luana" (falando para me encomodar mesmo). Eu olhei para ela, "Ahhh não mãe, olha que eu até aguento cinco camilas se for preciso, mas nem uma tizi eu aguento toda manha, imagina ficar o dia inteiro com ela?". Eu tava secando a louça e comentei a história do Gustavo e do Lucas. Que o gustavo era gay e que tava apaixonado pelo Lucas, e que o Lucas ficou meio com medo e tava meio afastado, mas que agora eles voltaram a ser amigos. Mas eu acho, e não é sou eu, mas gente acha isso, que o gustavo é bi na verdade. Mas que seja. E dai a mãe disse que na época dela não tinha essas coisas de garotos ja saberem tão cedo dessas coisas. E eu disse que ultimamente as coisas andam assim, tudo antes e mais precoce. Daí eu disse, porque ja faz um tempão que eu queria perguntar isso para ele, mas não fiz. Se um dos manos fosse gay, o que ele faria? Ele aceitaria? Dai a mãe ja avacalhou a minha ingenua pergunta e disse que o pai iria colocar os manos para fora de casa, com certeza. Dai eu disse que não era isso. Dai o pai disse que ele até aceitaria. Mas que achava que a mãe é que não iria aceitar muito fácil isso. Dai eu perguntei para a mãe. E ela começou a gozar com aminha cara.

Ela nunca me leva a sério. Ela ficou dizendo que se eu virasse lésbica, ela me enchotaria para fora de casa e ia me deixar no frio pra mim morrer. Dai eu disse que não me referia a mim. Que eu me asseguro, por enquanto, nós não podemos prever o amnhã, é meu lema. Eu me referia mais aos manos. E ela continuou gozando. Eu odeio quando ela faz isso. Ela não me leva a sério. As vezes ela nem da bola as minha squestões. Acha que são sem importância e me da qualquer resposta, sem pensdar muito. A mãe é muitop disso, quando ela não quer refletir muito sobre o assunto, ela da qualquer resposta, de qualquer jeito. Eu não consigo fazer isso. Mesmo que pareça. Quando minha filha me perguntar algo, eu reponderei com sinceridade e não ficarei rindo de sua pergunta. Minha mãe me subestima muito, subetima minhas perguntas.

23:12: Eu fui jantar, voltei e fui ver minhas configurações. E dai começou algumas coisas do axel e do roxas, e começou a tocar a música "Too little, too late", da Jojo. E eu tive que rir. Agora vou terminar de ver as minhas configurações, com licença.

23:18: Aaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!!! Não da certo com essas musicas, ta dando smile, da lili allen. Eu imagino o brendon e o cay, ou o sirius e o lupin, ou os carinhas do gravi, ou o axel e o roxas, melhor, o Demyx e o zexion de mãos dadas andando pelo parque pulando quenem uns boiolas. hUAHuahUAuahuahUAHUAhauHAUhaUHAUHHAuahuhUHAUHUHAAU...

23: 38: Ao som de Chris Brown, eu me retiro por hoje, amanhã eu volto, nem que for um pouquinho. Bejuuuxx, pra quem estive lendo. Va dormir ou estudar!!!

*Smack*

25 de julho


Diário de Bordo, 25 de agosto de 2008 - ouvindo "Ich bin nicht ich - Tokio Hotel"

11: 58: Estamos esperando novamente a Susi sair do trabalho. Ela vem daqui a pouco.

11: 59: Chegou!!

12: 13: Agora estamos no clube onde a Susi nada. Eu, a Vó e a Vi estamos sentadas aqui em um restaurante do clube. Bem na frente das piscinas ^^

Eu andei reparando, os taxistas daqui, sempre que perguntam de onde a gente é. E dizemos que é do Rio Grande do Sul, eles sentem um arrepio na espinha. Parece que eles ja tremem de frio só de ouvir a palavra. Eles acham que a gente mora no Alaska?!?Oo Claro, a primeira pergunta sempre é: É frio lá, né? É óbvio que é. Ontem tava dando uns 30 aqui em Brasília e a mínima era de 5 no Rio grande do Sul. A diferença. Eu perdi meu relógio que comprei ontem, que eu ia dar pra mãe. Aquele que eu comprei de orgulho. A vó deve ter ficado feliz que eu perdi. Eu acabei deixando a sacola na loja que a gente foi depois da loja do relógio. Deixei no balcão enquando ajudava a Vi no presente do Arthur.

16: 03: Acabamos de voltar para casa. Nós, depois de almoçar, fomos até Anatel visitar o local de trabalho da Susi, ela foi para uma reunião e não estava com a gente. Depois fomos à um ponto de táxi. Fomos até a loja obnde eu deixei o relógio, e achamos. Eu sempre acho que não mereço isso. Eu perco e quase sempre acho as coisas.

21: 20: Bai, o número do voo é 2323. Que do mal. A gente tava indo pra fila la pra despachar as bagagens e eu vi um ator, ele era de malhação e eu nunca lembro o nome dele. A Vi logo que ouviu o que eu disse. Ficou toda, OMG!!! onde? cadê? quando?

Mas ele ja tinha ido pra fila de espera, e a gente não acharia ele naquela bagunça. Tinha um cara de dreds tipo Bob Marley preso em uma toca jamaicana, eu achei legal, heehhehe

Tchauzinho

24 de julho


Diário de bordo, 24 de agosto de 2008 - ouvindo "perfect world - Simple Plan"

13:05: Estamos na casa da Susi, ela está trabalhando e nós agora, de almoço, só comemos um pedaço de maçã. Eu me sinto uma invasora: estou sentada no sofá da Susi de qualquer jeito, a Vi está no computador dela, e a Vó esta sentada na mesa comendo as frutas diversas que a Susi tem em casa. Ihh, el acabou de comer e agora vai lavar a louça da Susi, isso não é bom, a Susi não gosta que mexam na bagunça e nem na sujeira dela, e nem que falam as coisas por ela.

Grrrrrrrrrrrr... A Vi não fez isso, ela pôs uma foto minha no orkut em que eu to horrível, que saco. Na hora eu tava tirando as fotos do meu jeito, com o meu biquinho charmoso, que até então, estava ficando legal. Mas a Vó só ficava reclamando das minhas "caretas". Eu disse que é a MINHA careta, e que ela não tinha que se meter. Grrr... E disse pra ela que se eu faço uma cara normal, que todo mundo faz, eu ficaria feia. E eu fiz só pra mostrar pra ela. Só que a Vi deixou a foto na camera, e pôs no orkut. Eu sempre tiro fotos de mim, e sei direito onde ficam meus melhores ângulos, onde meus olhos podem ser valorizados, onde meus queixo não aparesce tanto, onde a luz pode ficar melhor no meu rosto, eu passei um ano tirando fotos minhas na minha camera, sei quais ficam boas, quais que não ficam, ela não precisava ficar se metendo.

22:44: Hoje descobri que a vó é uma chata total, eu ja sabia, mas agora tenho certeza. E que vou me casar com um cara chamado Camilo Golgi (acho que ja sou viuva antes de ser casada, porque ele ja deve ter morrido).

Nós estavamos indo em várias lojas, depois de a Susi ter chegado, e de termos ido aumoçar, depois de um monte de coisas. Fomos em várias lojas perto da casa da Susi. Precisavamos achar presentes, eu não porque ja tinha comprado tudo. Mas a Vi pricava achar presentes pro Arthur e pras amigas dela. E A vó precisava achar pra minha mãe. Eu estava ajudando elas, olhava a loja toda pensando em todas essas pessoas pra ver se combinava com elas. E por outras coisitas mas eu e a vó ja estavamos meio grrrrrrr uma com a outra. Daí eu achei um relógio muuuuito legal, que era um corpo de E.T. e na cabeça tinha as horas, e ele era prata e bonito. E era de borracha maleável. Podiamos pôr ele sentado, de pé, com mas pernas mais pra frente. Tanto faz. Daí eu disse pra vó que a mãe iria adorar esse presente. Eu fui toda feliz mostrar pra vó, com um baita sorriso, afinal, tinha conseguido ajudar a vó com o presente da mãe. Daí a vó olhou bem séria pra mim:

- Luana, eu jamais compraria isso para a tua mãe.
- Mas...porque?
- Porque é muito criança. Da uma olhada.
Daí, nessa hora, meu sorriso foi é dar uma voltinha, dar um rolé.
- Mas porque? Eu gostei tanto, e acho que é bem o tipo da mãe, vó.
- Luana, eu não vou comprar.
Eu olhei bem braba pra ela.
- Tuuudo bem, obrigada por ter chamado minha mãe e eu de crianças retardadas. Eu não vou mais te ajudar a achar presente nenhum.
E fui la e comprei eu mesma o presente. E só de irada, disse pra garota fazer bem bonito o pacote de presente. O que demorou uns seis minutos do precioso tempo dela. Eu achei tão legal e comprei só de braba que eu tava com ela.

22: 58: E você deve estar se perguntando, e o tal Camilo Golgi. É que nós fomos fazer um lanche numa lancheria muito boa. A Vi deu um pedacinho do enroladinho dela. E era muuuuuito bom. E eu pedi uma Coca pra moça la. E sabe aquele treco da gente ficar entortando o anel da lata até parar em uma letra, que vai ser a letra do seu amor. Pois é. Eu queria que desse uma volta toda no alfabeto, então fiz bem devagar. Mas acabou parando no C da segunda vez que eu contava o alfabeto. E dai eu perguntei? C? Não conheço nenhum menino que comece com a letra C. A Vó disse que tinha Ciro, a Vi disse que tinha Carlos. A Vó disse que tinha Cícero. E a Vi disse que tinha Camilo. E então ficou nesse. Daí fomos pra casa. E tava dando descarga MTV. E tinha uma pergunta la. Porque o complexo de golgi se chamava assim? E depois no final, o cara disse que era por causa de um tal de camilo golgi. E eu disse que era esse camilo. E que eu ia me casar com o camilo golgi, que, por não ter mais nada na vida, resolveu descobriu o aparelho de golgi, e deu seu sobrenome nele.

É isso!! Tchau!!

23 de julho - [4/4]


Finalmente, a quarta parte:

- 4/4 -

Era isso, meus quatro pretendentes. Bom, depois fomos dar voltas na Riachuelo. Fizemos e acontecemos na Renner (Oo??) e depois fomos saindo do shopping e eu ainda parei na porta da saída do shopping para comprar milk shake, fui no taxi bebendo meu lindo milk shake de flocos *^^*Fomos para a catedral e no museu Nacional, onde tinha uma exposição dos cem anos do Japão e sobre os Samurais. E tinha um recepcionista pra lá de fofo, ele era um japa meio fofinho que dava vontade de apertar e abraçar. A vó foi perguntar uma coisa pra ele, daí ele olhou para mim (Ohhhh*olhos brilhando*) e perguntou se eu não queria levar um folhetinho da exposição (nhaa, foi só uma desculpa, ele queria perguntar se eu não queria ir na casa dele mais tarde). Depois a gente foi saindo e eu disse pra Vi: -tu viu aquele japa que coisa mais fofa? - E a Vitória, logicamente, virou os olhos e achou engraçado, eu acho quase todo japa fofo e me apaixono fácil por qualquer um, talvez seja por isso que ela achou engraçado. Eu acho...

Depois fomos até a Anatel (a pé ¬¬), e depois a Susi nos levou até o parque de diversões. A Vó deu dois ingressos, eu ja queria ir na montanha russa com looping e o Kamikase, e a Vi morria de medo. Mas eu gosto de adrenalina e de sentir aquele friozinho na barriga (talvéz seja por isso que na segunda série eu apostei que ia pular de uma árvore de uns quatro metros de altura, e todo mundo me chamou de louca, no final eu ganhei a aposta, hauahuahua). Eu disse pra Vi que pelo menso na roda gigante (blerght, é parado demais) ela tinha que ir. Ela concordou, ela foi na roda gigante e tinha na fila uns caras gays falando cada assunto, depois dentro da roda gigante, eles ficavam tirando fotos abraçados, eu só olhava pra Vi. Dois dos caras usavam calças skinny e três usavam ALL STARS (aiai), e os outros dois que não usavam calça skinny tinham caras de pagodeiros (blerght), mas os dois de calça skinny e ALL STARS tinham caras de emos, um deles usava óculos emos (aiai).

Depois eu convenci a Vi a ir na montanha russa (milagre, meu poder de persuasão é muito baixo, eu sou é mais bem persuadida, snif, snif, ...)e nós fomos. Tinha até uns guris lá na fila que passaram na nossa frente, eu bate no ombro dos piralhos e disse que eu estava ali, enquanto eles negavam, eu passava, e a Vi não quiz passar. Mas dai no final da montanhna russa, a Vi queria ir de novo, ela morre de medo e não quer ir de jeito nenhum, mas depois quer ir de novo. Também, não tem como ir na montanha russa e não se apaixonar por aquilo. Um dos meus brinquedos favoritos é também o barco viking (é assim que se escreve??), quando sobe, me da um friozinho na barriga e eu fico com vontade de rir. É cômico. Mas eu ainda vou no Kamikase, só preciso achar alguém louco que nem eu pra ir comigo, porque nenhuma das minhas amigas tem coragem. Depois eu fui comer churros (adoro churros) e fomos esperar a Susi sair da massagem dela. Agora vamos no shopping, de novo. Weeee!!!!! Tchau.

23 de julho - [3/4]


Terceira parte:

- 3/4 -


Número 2- O tal menino da camiseta roxa de que eu falei na parte 1.

Número 3- Um no mc que eu fui em um dos primeiros dias de Brasília. Ele estava no mc com a suposta mãe (que no começo achei que era sua irmã, mas vi de frente, e vi que era a mãe) e o pai (achei isso tão fofo). Eu fui fazer meu pedido provavelmente no mc (daahh) e ele estava la conversando com a mãe dele (ele ja tinha acabado, por isso, quando meu pedido ja estava pronto, ele ja não estava lá). Ele tinha uma calça skinny de emo e um ALL STARS cor cinza com cadarços laranjas (era legal, mas era um laranja normal, não um laranja muito vibrante) e a camiseta eu não lembro (ja ta querendo demais). Ele era relativamente fofo. Não tinha cara de bebÊ e tinha um cabelo médio e ondulado e meio louquinho (isso foi o que mais chamou atenção nele). Ele tinha uma pseudo barbinha, e isso é até em certo ponto fofo (tenho trauma que meu marido seja um barbudo quenem o meu pai que vai me beijar e espeta toda a minha bochecha lisa e fofa (sim, eu me acho), meu marido vai fazer a barba todo dia, de preferencia, que não tenha barba (isso existe??Oo) e se ele se recusar, dou um pé na bunda dele (como se isso foi fácil assim, sei que não deve ser))

Número 4- Esse é o mais fofo e legal, eu tive contato com ele, UUUIII. Eu entrei me mais uma das minhas livrarias, mas dsta vez, este era diferente. Ela era muuuuito legal meeeesmo, não tinha só qualquer livro. Tinha os livros. Para profissionais de verdaaaade. E DVDs, jogos de computador. E vááááários livros. O livro que tu pensar tem la (tuuudo bem, talvez eu esteja exagerando, o livro do Vladimir não iria ter lá, viu Cahh??? Bom, eu não procurei muuuito, na sessão de estrangeiros, que era enoooooorme, mas deveria ter algo legal do tipo). E tipo, era diferente porque era gigante (maior que as lojas americanas, não tão maior quanto o Zaffari Bourbon). E tinha várias sub camadas e pequenas salinhas abertas, sabe.

E eu puxei todo mundo (novamente) para dentro da livraria. Lá, eu fui seguindo, cada pseudo-salinha tinha um assunto. Eu fui vendo todos. Quando cheguei na Arquitetura, outra das minhas mais diversas paixões.

Tinha um cara lá, aparentava uns 17 anos. Eu ia olhando os livros. Até que peguei um sobre arquitetura e fiquei folhando. Quando fui guardar, o garoto estava de pé. E ele era o mais bonito de todos os outros três. E mais perfeito. E céus, ele gostava de Arquitetura (gostos estranhos), como eu!! Eu vi que ele estava em pé. Para pegar alguma coisa, ele estava procurando entre as prateleiras de cima, onde ficava os livros maiores e para amadores ou profissionais meeeeesmo. Devia ser uns R$ 500,00 o livro que eu vi. Sério, o livro mais perfeito que eu já tinha visto no mundo inteiro, é incrível meeeeesmo. Bom, não era pra menso que quando eu coloquei a mão no livro, o tal garoto também colocou. Ele viu que eu tinha pegado, e logo retirou a mão (olha o cavalheirismo hoje em dia, palmas pra ele). Eu olhei para ele e ele olhou pra mim, pegou outro livro e voltou a sentar no lugar. Eu peguei o gigantesco livro sobre arquitetura, sem mentira ou invenção, deveriam ter umas 800 páginas apenas sobre Arquitetura (quando fui pegar, tive de apoiar ele nas minhas pernas de tão pesado), aí tinha tuuudo meeeesmo. Tinha de várias épocas, tinha as diferenças nos mínimos detalhes. Tudo. TUDO. Eu devo ter ficado de boca aberta um tempinho sem perceber. Porque era incrível.

Mas que seja, estou aqui para falar dos meninos, não dos livros fantásticos que eu descobri em Brasília. Mas o garoto era legal meeesmo, não era a toa que era o mais perfeito: cabelo castanho escuro ondulado (Cahh, era parecido com o do Luan, só um pouco mais curto!!), camiseta preta com alguma coisa escrita que eu não identifiquei, mas que parecia uma frase, ou algo assim *imagina uma frase toda certinha de garoto de ouro legal que se preocupa com o mundo, sobre a humanidade e a poluição, liberdade de expressão, aquecimento global ou uma beem filosófica e legal de efeito*, tennis preto e usava uma calça de giz preta (AHHHHHHHHH!!!!! *luana cai da cadeira, e se pergunta: Como eu não agarrei esse cara quando tive chance"*) mais justa embaixo. Usava óculos (o menino da livraria número 1 também, viu?) e tinha uma cara completamente livre de espinha alguma *suspira* e branquinha. Seu cabelo parecia um pouco oleoso (heheeh, nem os garotos escapam da oleosidade no cabelo), era perfeito. *suspira*. Depois, ele foi embora, só que na hora eu não percebi, porque estava vendo meu super livro, dai quando olhei em volta para guardar o livro, porque tinha muita coisa ainda para ver. O garoto não estava mais lá. Daí eu fechei o livro e segui com toooodo o resto da loja que ainda tinha que olhar. Tinha um negócio de livros de suspense/terror e dai tinha cada nome legal, tinha uns de vampiros que eu fiquei futricando, mas as histórias não eram lá muito legaaais meeeesmo. Tinha cada título: "Crepusculo" (Ohhhh, muito original), "Noite Negra" (não, noite clara), "Vampiros da noite" (sério, achei que fosse do dia), "A calada da noite" (*barulho de fantasmas*).

23 de julho - [2/4]


Agora a segunda parte:

- 2/4 -

Mas voltando, depois eu fui aumoçar em um restaurante dos camarões. Eu, como não estou nem aí pra dieta (as vezes, quer dizer, tem que ter um limite, né?), observei a praça de alimentação todinha e um restaurante em especial me chamou atenção: rei dos camarões (ou alguma coisa assim)!!! E meu deus: Camarões!!! Eu sou louca por esses seres marinhos tão fofos (principalmente na parte que eu como eles, hahaahaha. Nossa, pareço um monstro que invadiu a terra e que sai por aí devorando animaizinhos indefesos XD). Enquanto minha vó e a Vitória (a Susi estava trabalhando no dia) foram comer em um restaurante chinês (ja disse, amo o Japão, mas odeio a comida japonesa ou chinesa). Lá, tinha um cara de camisa roxa muito fofo com cara de bebê, ele tava com a suposta mãe dele. Tinha um cabelo castanho claro e ondulado. Ele era fofo. Mas que seja, ele ficou sendo um dos meus quatro pretendentes que eu ja encontrei aqui em Brasília. Qualidades que um menino deve ter para ser meu pretendente, que seja de vista(o que foi só isso na verdade):

~Ele não parece ser gay

~Tem um pingo de estilo, ou um pingo de emo, nerd ou cara com coração de ouro (embora isso seja meio raro da gente perceber de vista :O).

~Não esta agarrado com nenhuma garota idiota

~Aparentar no máximo dos máximos 20 anos. Porque mais que isso eu acho que não.

~Me mostrar por alguma razão ou ação que é um cara legal e que valha a pena investir

~Tem cara de que me aguentaria como namorada (por isso o número é tão reduzido)
Os quatro foram:


Número 1- "Um menino da livraria": Seguinte. Eu estava passeando em um shopping com minha vó, prima e tia de 25 anos (que você olha e jura que tem 17). Quando passamos em uma livraria. E sou apaixonada por livrarias. Dai fiz todo mundo entrar junto comigo. Já que eu perguntava e a Vitória dizia uns "pode ser" ou uns "por mim tanto faz". E a Vó queria que nós decidissemos tudo e a Susi também. Então eu fui simplesmente entrando, e elas foram atrás. A livraria tinha uma sala separada com alguns outros livros. E nessa sala separada. Tinha uma duas mesas e quatro cadeiras. Eu entrei e em duas das quatro cadeiras tinha um casal feliz olhando um livrinho ou sei la, não sou o tipo de pessoa que fica olhando de lado ou de camarote mesmo para ver o que os outros fazem por aí com seus pares. Elas que fazem o que bem entenderem. Vamos espalhar o amor por aí. Mas não se esqueçam crianças. Usem camisinha sempre!! Mas voltando, dai teve uma hora que eu fiquei com vontade de ir no banheiro. Dai eu fui indo atrás e não notei que o resto da minha cambada (cambada= vó, vitória e susi ) tinha ido atrás. Quando sai, voltei pra biblioteca, a cambada tinha sumido.


Eu fiquei la na biblioteca até que elas percebam que eu estava lá. Dai o casal tinha sumido e nisso tinha um menino na sala. Do tipo que adora livros grandes e é fan de STAR WARS. Usava uma camiseta preta de manga curta e uma calça jeans normal, não aquelas largonas de skatista ou coisa do tipo, nem justas de emo, normal (um pouco mais justa do que apertada, devo admitir). Então eu ia vendo os livros e ele também, teve uma hora que quase nos pechamos por que iamos olhando os livros e caminhando ao mesmo tempo. E não viamos que o outro vinha vindo do sentido oposto. Até que a cambada chegou, elas tinham ido no banheiro atrás e quando saíram não me acharam, rondaram um pouco o shopping até me achar de novo na livraria. Minha vó disse que foi inteligente eu ter voltado para o ponto inicial (eu digo: E um viva as livrarias!!!). Então, a vó disse que a gente iria ainda olhar outras lojas e que se eu quisesse alguma coisa, eu pegava e levava pro caixa pra ela pagar. Dai eu peguei o livro e fui (antes, lógicamente, eu paguei).


Eu comprei um livro, chamado Pão-de-mel. Parece ser legal, pela parte de trás que eu sempre leio antes de comprar algum livro. Nunca tive uma grande decepção com algum livro, do tipo que eu achei terrível e que me arrependeria de ter comprado. Sou muito otimista e sempre acabo vendo alguma coisa legal no livro depoois, até porque, autor que se preze, faz cada final legal, que acaba ficando marcado de tão bons. Todos os meus livros são legais. Eu primeiro vejo a capa, primeira impressão é sempre muito importante (luana rebelde diz: Foda-se a primeira impressão!!! Yeeeaaah!! *levanta o punho fechado ao ar*). Depois, leio a parte de trás. E por ultimo, vejo o preço. Se eu gostar muuuuito da capa e do resumo, ou os dois juntos derem pontuação acima de 80%, eu levo sem dar a mínima pro preço. Mas se elas juntas não passaram de 70% e o preço for o mesmo que eu comprar uma chapinha nova. Não levo de jeito nenhum. Tem que ter um limite. Se for entre 70 e 80% e o preço for meio apertado. Eu fico um tempinho pensando, mas no final sempre levo.


Eu adoro ler, gosto mesmo. Acho ler uma coisa fascinante (quenem as bombas, os meteoros e o sol nos vídeos de geografia, são realmente fascinantes!!). Sempre gostei, desde a primeira série, a professora dava um tempinho pra gente ler na aula, de repente quando eu olhava, estava só eu mais umas três pessoas (uma delas iria ser a professora) na sala: a aula ja havia acabado e a luana ficou quenem uma aluscinada lendo o livro sem nem perceber que o sinal tocou.